Francesca

Ou ‘Me chame pelo meu nome’

Ah, a indolência do verão
Os livros iniciados e deixados de lado
Os contos de Dorothy Parker
Os escritos em papel solto

Solto era meu cabelo cacheado
Longo e secando à brisa fraca
Na varanda, um colchão sem lençol
O sol me banhava enquanto 
Meus ossos e seios cresciam

Minha pele mudava de tom
À medida que a grande bola de
magma ia a oeste
À noite, pele avermelhada e quente
Tontura, náusea e dor de cabeça 
Mas no dia seguinte
O mesmo ritual

Poema inspirado no livro “O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks”, de E. Lockhart, e no filme “Me Chame Pelo Seu Nome”, de Luca Guadagnino.

Leitora e escrevedora de transporte público. Instagram: @santosacarolina

Leitora e escrevedora de transporte público. Instagram: @santosacarolina