Esta é uma ode aos poemas fugidios
Poemas que me vieram em inspirações fugazes
e que me escaparam em distração
Uma ode àquelas palavras que,
em minha cabeça, pareciam tão belas
mas que nunca ganharam corpo
em página de caderno ou rascunho de e-mail
Pensamentos se atropelam uns aos outros
e, nessas colisões, há sempre injúrias ou óbitos
Às vezes, se perde braço ou perna
mas o cerne persiste
Outras, só fica a lembrança

Leitora e escrevedora de transporte público. Instagram: @santosacarolina